Scale-up: o que é e como se diferencia de uma startup

Startups passam pelas fases de ideação, validação de solução, tração e crescimento e escala. Chegar ao último estágio é o objetivo de todos os responsáveis por um empreendimento do tipo, quando podem ter uma scale-up, ou scaleup, empresa de alto crescimento.

Desde a disseminação das startups pelo Brasil, e as primeiras citações do termo “scale-up”, que critérios para definição de ambas são abordados e estudados. Porém, muitas vezes eles são confundidos.

Então, leia neste post a definição de scale-up, qual é a relação entre os diferentes termos e, ao fim do conteúdo, como iniciar um planejamento para tornar seu negócio uma scale-up.

O que é uma scale-up?

São denominadas scale-ups as empresas que crescem de maneira escalável e sustentam esse crescimento por longo prazo, de pelo menos três anos, aplicando métodos sólidos e inovadores de gestão nos mais diferentes setores. E esses negócios, que correspondem a cerca de 1% dos empreendimentos brasileiros (35 mil empresas) de todos os portes, segundo o IBGE, estão nos mais diversos mercados de atuação, não apenas no ramo da tecnologia.

Formalmente, conforme definição da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), são scale-ups as empresas que crescem no mínimo 20% ao ano por três anos seguidos, empregando pelo menos 10 pessoas.

Dois critérios comuns às scale-ups dos mais distintos mercados são capital e possibilidade de escala na área operacional. O primeiro quesito é autoexplicativo, pois qualquer empresa deve ter capital de giro, próprio ou de terceiros, para dar base à expansão de atendimento a uma carteira de clientes que cresce exponencialmente.

Quanto à possibilidade de escala, pode ser do produto ou serviço em si ou da estrutura de distribuição da solução. Por exemplo, se o produto for um software pelo qual os clientes pagam assinatura mensal, o negócio concede mais licenças a cada mês e contrata profissionais de suporte e sucesso do cliente a cada determinado volume de novos licenciamentos.

Já se a scale-up for um e-commerce, a capacidade de escalonamento tem de ser aplicada à cadeia de fornecedores, ao marketing, ao comercial e aos fretes. Comparando com o exemplo anterior, é uma estrutura mais complexa e ampla, mas possibilita o crescimento escalável se existir capital, ou financiamento, e uma gestão orientada a resultados e escalabilidade em todos os departamentos.

Qual é a relação entre scale-ups e startups?

Nem toda scale-up é ou foi uma startup, pois uma empresa tradicional também pode inovar em todos os setores e escalar o crescimento. Por outro lado, toda startup, por ser em teoria enxuta, esclável e inovadora por essência, pode ser uma scale-up.

Scale-up é um nível a ser atingido por startups e outras empresas, sejam elas iniciantes ou não. A igualdade nesse cenário está na fórmula que permite alcançar esse patamar: estrutura de custos enxuta, escalabilidade e inovação e/ou modernidade nos processos.

A confusão que se faz entre os termos deve-se ao fato de na última década e meia a palavra “startup” ganhar muita notoriedade e chamar cada vez mais atenção no Brasil. Além disso, no mesmo período marcas que hoje são famosas e grandes empresas surgiram como startups e se tornaram scale-ups, reconhecidas pelo crescimento acima da média e apoiadas em tecnologia, casos de Uber, Airbnb, Nubank e iFood.

Aliás, não é necessário estar na área de tecnologia, entregando um aplicativo a usuários, para se ter uma scale-up. Conforme estudo da Endeavor, somente 1% das empresas de alto crescimento do Brasil são da área digital. Os ramos que lideram o ranking são varejo (20%) e construção civil (13%), obviamente explorando a tecnologia, adquirida de fornecedores, em vários setores e processos, mas não entregando nenhuma solução tecnológica aos clientes.

Outro fator que faz com que os termos sejam confundidos ou até considerados sinônimos é a necessidade de a empresa ter um modelo de negócios escalável e replicável, sem dificuldades e custos altos, em grande volume. E essas características sempre são utilizadas para conceituar as startups.

Como construir uma scale-up?

Primeiramente, é preciso analisar se o negócio tem um modelo que é escalável e se o aumento da estrutura de custos não acompanha de perto a elevação do faturamento. E o capital necessário para os investimentos deve estar em orçamento que leve o plano de expansão em conta. Caso o negócio não tenha capital próprio, deve buscar com terceiros em financiamento ou investimento.

Depois, havendo viabilidade para o start do plano, os responsáveis devem analisar seus processos, de todos os setores, para modernizá-los ao máximo e torná-los escaláveis. Isso porque ocorre a escala em outras áreas da seguinte forma:

  • receber e emitir mais notas fiscais;
  • atrair mais clientes em potencial e a demanda do comercial;
  • escriturar uma contabilidade mais complexa e longa;
  • contratar mais pessoas;
  • atender mais clientes no pós-venda ou no acompanhamento do uso da solução.

Logo, a escalabilidade não se trata apenas de vender mais, focando as atenções apenas em processos de marketing e vendas para perceber aumento exponencial do faturamento. Por isso, preparamos um conteúdo especial para ajudá-lo no planejamento da sua scale-up: Como ter um negócio escalável.

Deixe uma resposta