Como e por que fazer uma pesquisa de mercado para a startup

A meta de uma pesquisa de mercado é ajudar um gestor ou outro profissional em uma tomada de decisão. Para isso, ela tratam de coletar e analisar dados, numéricos e não numéricos, para que se compreendam tendências de consumo, comportamentos, preferências e tantos outros aspectos que ligam a empresa às pessoas externas a ela.

Como startups geralmente se proliferam em ambientes inovadores e de incertezas, com muitas dúvidas a serem sanadas pelo caminho, podem tirar proveito desse tipo de estudo para seus planejamentos. E mesmo depois de passarem pelas fases iniciais, até estando consolidadas no mercado, ainda podem ter bons resultados apoiando-se nas pesquisas, como muitas grandes corporações fazem.

Entenda em quais momentos é ideal fazer a pesquisa e quais métodos podem ser utilizados.

Quando fazer uma pesquisa de mercado?

Antes de abrir um negócio

A pesquisa nesse momento serve para ajudar a startup a validar seu produto ou serviço, amadurecer as ideias e entrar no mercado mais preparada em relação a expectativas do público-alvo, exigências de mercado, oportunidades a serem aproveitadas e riscos para minimizar.

Por exemplo, algumas respostas importantes que a pesquisa pode gerar nesse momento são:

  • deficiências dos concorrentes a serem exploradas;
  • se existe grande volume de pessoas e/ou empresas dispostas a pagarem pela solução que será lançada;
  • valores aceitos dentro do ramo no qual o negócio entrará;
  • se um atendimento generalizado ou de nicho é mais bem aceito pelos potenciais clientes;
  • novas tendências de consumo dentro do mercado específico.

O intuito é gerar dados e levantar percepções úteis ao planejamento necessário para lançar o empreendimento sem cometer erros, reduzindo riscos e colocando em prática as melhores ações para alcançar cada um dos objetivos primários do ciclo de vida do produto e da empresa. Em suma, trata-se de conhecer melhor o mercado e os agentes que mantêm seu funcionamento.

Para entender novos concorrentes

Apesar de termos citado o estudo dos concorrentes na pesquisa de mercado para abertura de empresa, isso também pode ser feito por negócios que já atuam há bastante tempo quando players novos, e possivelmente inovadores dentro do cenário, aparecem. É uma boa estratégia para compreender questões como:

  • quais são os novos concorrentes;
  • quais propostas de valor os novos players apresentam;
  • que inovações esse players trouxeram para os produtos ou serviços;
  • que aspectos seus atraem compradores ou contratantes;
  • como se diferenciam das marcas há mais tempo no mercado.

Obter essas respostas evita que se perca fatia de mercado para novos participantes do ramo, o que muitas vezes ocorre rapidamente por conta do apelo que novos players têm perante o público. Dependendo da área, eles representam possibilidades de aquisição de produtos ou serviços sem a burocracia das marcas atuantes há mais tempo, por preços menores ou com novidades interessantes.

Para lançar uma nova solução

Um produto ou serviço precisa obrigatoriamente ter demanda, ser aceito pelo público-alvo e atender a alguma necessidade. Então, a pesquisa de mercado nesse caso pode esclarecer para o negócio se esses fatores existem, além de outros, que certificam a viabilidade do lançamento.

Esse tipo de estudo tem semelhanças com aquela feita para a abertura de um novo negócio, visto que o objetivo é conhecer melhor o mercado antes de oferecer algo novo e concorrer nele. Porém, a empresa que lança um novo produto ou serviço e já opera há algum tempo tem percepções da sua experiência na área para complementar os dados obtidos na pesquisa específica do lançamento. Assim, conciliando vivência e novas respostas, os responsáveis podem evitar serem induzidos ao erro por dados que parecem muito otimistas e conseguem fazer um planejamento com menos brechas.

Na avaliação da empresa

A pesquisa também serve para saber como as pessoas veem a empresa, estejam elas entre clientes e fornecedores ou mesmo não tendo nenhuma relação com a marca.

Por exemplo, o estudo pode ser direcionado apenas a ex-clientes, que na base não efetuam uma compra ou contratação há determinado tempo, para saber por quais motivos isso ocorreu. Em relação aos clientes, as pesquisas respondem se eles estão satisfeitos com produtos, serviços, atendimento, suporte e outros pontos com os quais têm contato.

Já no público em geral, exigindo mais investimentos e sendo algo voltado a negócios maiores, a pesquisa de avaliação pode servir apenas para saber que imagem as pessoas em massa têm, mesmo não sendo clientes, da marca. Caso o resultado seja negativo, se tem informação para um trabalho de rebranding ou mesmo redefinições no marketing e em outros setores.

Quais são os métodos de pesquisa de mercado?

Pesquisa qualitativa

Como diz o nome, é a metodologia utilizada para avaliar a qualidade de algo. Uma das formas mais comuns de fazer uma pesquisa qualitativa é com um focus group, composto por entre 8 pessoas, no mínimo, e normalmente um máximo de 12.

Esse estudo conta com imersão, entrevistas aprofundadas e até mesmo interação entre os membros do grupo. Os resultados colhidos são não probabilísticos ou estatísticos, tendo como principal material o conteúdo gerado pelos participantes e aplicadores da pesquisa, que tem de ser analisado com profundidade para se chegar aos melhores insights.

Pesquisa quantitativa

Ao contrário do método anterior, esse é focado em números, probabilidades e estatísticas. Logo, exige que o público estudado seja grande para que a amostragem e demais números tenham relevância para o negócio.

Por exemplo, é uma metodologia adequada a uma pesquisa de reconhecimento de marca, na qual a empresa pode medir qual percentual de pessoas, em uma amostragem de mil respondentes ou mais, lembram da sua marca quando escutam determinado termo referente a um produto ou serviço.

Observação

A técnica de observação é aplicada para entender um fenômeno natural que ocorre em determinado ambiente, seja pontualmente ou ao longo de algum período de tempo. Um exemplo de aplicação é o estudo de comportamento de clientes em uma situação específica, sem que os desenvolvedores da pesquisa interajam com eles ou interfiram em algo no decorrer do processo.

Os resultados da metodologia de observação se baseiam principalmente em insights, mas também podem ter conteúdo numérico ou relacionado a qualidade. Em hipótese, uma pesquisa pode demonstrar que os clientes aderem mais rapidamente a uma solução a partir de determinada mudança no layout, mas também que a taxa de utilização dela também sobe 10% com essa modificação.

Experimentação

Técnicas experimentais são as mais complexas entre os métodos de estudo. Isso porque envolvem uma estrutura robusta de pesquisa, colheita de dados qualitativos e quantitativos e demandam prototipagens, inclusive com interferências em meio ao processo.

Em suma, um ambiente bem planejado é criado e permite o controle de fatores e variáveis, sendo que pelo menos um desses componentes é modificado durante a experimentação para que se veja como o focus group age antes e depois. O processo pode iniciar com uma pesquisa secundária apenas para obter dados e posteriormente explorar o focus group na prática.

Toda essa complexidade objetiva testar resultados de situações específicas e dinâmicas, para avaliar ideias e relações entre pessoas e bens, que são ou podem se tornar tão complexas quanto os testes simulam. Justamente por isso se utiliza um grupo de pessoas limitado e há movimento de variáveis. E pelos mesmos motivos esses testes tendem a ter altos custos, até porque muitas vezes envolvem recursos e locais físicos e profissionais multidisciplinares.

Agora que você sabe quando fazer uma pesquisa de mercado e quais métodos existem para isso, siga a nossa empresa nas redes sociais (TwitterFacebookLinkedIn e Instagram) para acompanhar as novidades do nosso blog voltadas a seu negócio.

Deixe uma resposta