Como escolher uma conta PJ digital para seu negócio

Com a crescente diminuição da concentração de contas em bancos tradicionais, escolher uma conta PJ digital para a empresa passou a ser rotina de muitos empreendedores. E como um dos principais motivos dessa movimentação é a busca por soluções mais alinhadas à realidade de pequenos negócios e startups, é imprescindível atentar a uma série de critérios no momento de tomar essa decisão.

Uma boa escolha pode reduzir as despesas recorrentes e até mesmo auxiliar na gestão financeira e contábil, pois a conta bancária é mais do que um meio de efetivar pagamentos e recebimentos.

A seguir, veja seis ações para decidir pelo melhor serviço para seu negócio.

Observar os produtos e serviços inclusos

No começo das contas digitais, muitas apenas serviam para receber dinheiro e fazer pagamentos de boletos. Atualmente, uma conta com esses poucos recursos deixa de atender a uma série de necessidades dos usuários.

É preciso escolher uma conta PJ digital que permita ao correntista concentrar suas movimentações e grande parte do trabalho do financeiro nela, não sendo necessário ter mais custos e contas para pagamentos e recebimentos do negócio, além de outras possíveis operações. Portanto, o mínimo que o banco ou a fintech deve oferecer é:

  • cartão de débito;
  • cartão de crédito virtual;
  • emissão de boletos de cobrança;
  • pagamentos de boletos, faturas e impostos;
  • transferências, incluindo via PIX.

Adicionalmente, se o empreendedor julgar necessário, pode-se buscar demais soluções, como cartão de crédito comum, opções de investimentos, empréstimos e seguros.

Conhecer os custos

Contas digitais naturalmente são econômicas em comparação com as tradicionais, mas têm as suas despesas. E ainda que esse não seja o critério mais importante para a tomada de decisão, não deixa de ser relevante para a estrutura de custos da empresa.

Dificilmente bancos digitais e fintechs cobram as famosas taxas de abertura e manutenção de conta, além de oferecerem isenção para uso de vários produtos e serviços até determinado número de operações. Então, o que deve ser observado é o valor de cada taxa, quais serviços são tarifados e a partir de que momento as cobranças passam a ser feitas.

Relacionando esses fatores com as movimentações em média da empresa, o responsável consegue prever se mensalmente existirá algum custo e, se sim, qual será seu valor médio.

Entender a burocracia da abertura de conta

Por necessidade de abertura de cadastro e também por razões de segurança, qualquer abertura de conta exige uma série de dados e validação de informações e documentos. Porém, quanto menos burocrático for o processo, e mais rápido, melhor.

Por exemplo, um dos mais tradicionais bancos comerciais do Brasil lançou recentemente uma conta digital para pequenas empresas. E seu processo de abertura exige envio de documentos digitalizados, como cartão de CNPJ, aprovação de crédito no cadastro (mesmo sem oferecimento de linha de crédito) e espera de cerca de três dias úteis para resposta sobre aprovação da abertura. São etapas burocráticas desnecessárias e que não ajudam o empresário.

Verificar os formatos de atendimento

Todas as instituições atualmente contam com inteligências artificiais e robôs para atendimentos primários e simples. E isso é bom também para os usuários, que muitas vezes podem ter problemas resolvidos rapidamente, ou obterem respostas para dúvidas, sem precisar esperar pela disponibilidade de um humano.

Por outro lado, em algum momento pode ser necessário contar com a ajuda de uma pessoa para a resolução de um transtorno mais profundo ou uso de uma operação mais complexa. Então, é importante que essa possibilidade exista e que não sejam tarefas difíceis encontrar e fazer uso dela.

Observar a interface

Uma interface muito complicada pode dificultar o uso da conta e de seus recursos. Mas é possível avaliar esse fator mesmo antes de aderir à conta de um banco ou fintech. Vídeos no YouTube feitos pelas instituições, overviews de usuários e telas de demonstração dos sites das contas são alguns dos conteúdos facilmente encontrados na internet e que ajudam a entender se há dificuldade na interação com a interface de um serviço.

Conhecer os recursos de gestão

Escolher uma conta PJ digital é tomar uma decisão pela empresa, o que nunca pode ser esquecido. Logo, faz sentido pensar no gerenciamento financeiro e empresarial neste momento.

Junto aos extratos e formatos variados de exportação de relatórios, a instituição pode oferecer aos correntistas demais recursos para controle financeiro e manutenção de rotinas administrativas.

Por exemplo, o cliente da ContabNET, se contar com uma conta digital parceira, como Linker ou Cora, pode integrar sua conta ao software contábil. Assim, um robô automática e frequentemente consulta o extrato da conta e busca dados para os registros financeiros e contábeis. Como resultado, a contabilidade fica sempre atualizada de acordo com a movimentação bancária e o cliente pode contar com informações, como fluxo de caixa, atualizadas em tempo real para sua gestão interna.

Essa possibilidade de integração é relativamente nova, e por isso muitos empresários ainda não a conhecem a fundo. Mas se quiser saber mais sobre, entenda como funciona a integração entre conta digital e contabilidade.

Deixe um comentário