As 7 melhores práticas para contratar funcionários para a startup

Contratação não é um assunto tão simples, pois contratar funcionários para a startup não se trata apenas de colocar pessoas para fazer determinados trabalhos. Admissões envolvem recrutamento, seleção criteriosa e a observação de leis que regem as relações trabalhistas.

Por conta disso, o negócio deve atentar a boas práticas neste momento tanto para evitar problemas com o Fisco quanto para investir em profissionais que o ajudarão a crescer. E para ajudá-lo, explicamos seis boas práticas que qualificam as contratações.

1. Pense em uma estratégia de recrutamento

Para receber currículos e ter um bom número de pessoas disponíveis para a seleção é preciso fazer um recrutamento que gere volume, o que a internet possibilita facilmente, até mesmo de maneira gratuita. Mas quais canais escolher? Isso depende da empresa.

Por exemplo, se a vaga é para atuação presencial pode ser melhor divulgá-la em um grupo de Facebook mais segmentado. Já se o trabalho for remoto ou permitir atuação em outro estado, como em filial, um grupo com alcance nacional é bem útil. O LinkedIn, em qualquer caso, também é uma boa ferramenta, já que é uma rede social volta a assuntos profissionais e corporativos.

Caso necessite de ajuda e queira utilizar filtros mais rígidos logo na recepção dos currículos, a startup pode contar com sites especializados, como Catho e Infojobs, e  com agências de empregos. Essas opções não são gratuitas, mas podem facilitar em muito o trabalho de recrutamento e até torná-lo mais ágil.

Existem ainda sites especializados em divulgação de vagas para mercados específicos, nos quais é possível encontrar apenas candidatos com formação e experiência na área do negócio. E alguns deles são gratuitos.

2. Crie um bom anúncio de vaga

O anúncio, além de divulgar a existência da vaga, serve para informar os interessados sobre ela e fazer uma primeira filtragem de candidatos. Portanto, deve dar todas as informações pertinentes, sendo claro e direto. Alguns dados que fazem parte de um bom anúncio são:

  • breve descrição da empresa;
  • cargo e descrição breve das funções;
  • requisitos de possíveis cursos ou grau de instrução;
  • salário, adicionais e benefícios;
  • características desejadas, que vão ao encontro de necessidades para o trabalho e da cultura da startup;
  • forma de atuação e local;
  • funcionamento do processo seletivo.

3. Desenvolva um processo seletivo criterioso

O intuito do processo seletivo é entender se o candidato é adequado para a empresa e tem capacidade para executar o trabalho. E isso pode ser feito de várias formas, como em prova de conhecimentos técnicos, em entrevistas técnicas e pessoais ou por meio de teste psicológico. Aliás, o processo pode ter mais de uma etapa e contar com todos esses recursos.

No fim, o processo seletivo não deve ser mais longo que o necessário nem contar com etapas ou testes descartáveis. Ele precisa cumprir seu papel dentro de um período coerente e responder à principal dúvida do contratante: analisando todos os aspectos importantes, o candidato à minha frente está apto ao cargo e se encaixa na nossa cultura corporativa?

4. Conheça os direitos trabalhistas básicos

Contratar funcionários para a startup também exige conhecimentos legais, tanto para que o negócio não perca bons talentos por se recusar a conceder direitos obrigatórios quanto para evitar processos trabalhistas mais à frente. Então, conheça os principais.

Assinatura da Carteira de Trabalho

O processo de assinatura do documento exige rapidez. Logo, quando a empresa for informar o candidato escolhido de sua contratação já deve solicitar a Carteira de Trabalho e fazer o registro antes que ele inicie em suas funções. Além disso, após a solicitação tem de devolver o documento em 48 horas.

Concessão de vale-transporte

A startup é obrigada a conceder o vale-transporte quando o empregado informar que necessita disso para se locomover até o trabalho. Em nenhuma hipótese a concessão pode ser negada ou ignorada.

Assim, quando algum funcionário solicitar o vale, até 6% do seu salário bruto podem ser descontados, não importando qual seja o valor da soma mensal das passagens ou dos bilhetes.

5. Fique atento à reforma trabalhista

Já faz mais de um ano que a reforma trabalhista foi aprovada. Porém, é algo relativamente novo para as empresas se compararmos suas mudanças às diretrizes com as quais todos estavam acostumados há décadas. Então, veja algumas dicas para tomar cuidado em suas contratações e evitar problemas:

  • trabalho home office pode ter contrato de trabalho, como é feito com os trabalhadores presenciais;
  • o recolhimento da contribuição anual sindical não é mais obrigatória. Os trabalhadores escolhem se desejam contribuir;
  • o acordado prevalece sobre o legislado, mas apenas quando existir um acordo oficial entre a empresa e o sindicato que representa seus funcionários.

6. Faça projeções financeiras

Todo novo custo ou investimento adicionado ao negócio precisa ser projetado para que a empresa tenha previamente o entendimento do seu impacto no fluxo de caixa, e contratar funcionários para a startup também exige esse cuidado. Ademais, quando falamos de contratação não nos referimos apenas a gastos adicionais com a folha de pagamentos.

Para não fazer uma projeção inexata, veja quais elementos levar em conta:

  • salário mensal;
  • Fundo de Garantia: 8% sobre o salário a bruto, valor a ser pago pela empresa sem desconto em folha;
  • diferença entre os 6% do desconto do vale-transporte e o custo para concessão: como o empregado paga parte do vale, o empregador apenas contabiliza o gasto da diferença;
  • demais benefícios em geral;
  • possíveis despesas com aumento de estrutura, como novo usuário de G Suite e demais ferramentas, computador novo e estação de trabalho adicional;
  • uniforme, caso seja uma norma ou prática comum da empresa.

Se você pensou em INSS e imposto de renda retido, não precisa se preocupar com isso. Como ambos são descontados diretamente dos trabalhadores, o negócio não tem gastos com eles, apenas repassa os valores nas guias de pagamento que gera. Mas isso sõ vale para empresas optantes pelo Simples Nacional, pois as demais, apesar de não gastarem INSS com os empregados diretamente, devem pagar uma contribuição adicional que incide sobre o valor da folha de pagamentos.

Em suma, devem ser somados os valores de todos os quesitos que possibilitarão ao novo empregado começar a trabalhar e manter sua atuação, desde que sejam de responsabilidade do caixa da empresa.

7. Conte com a ajuda de um escritório contábil

Contadores são especialistas em todos os pontos que citamos e ainda podem ajudar o empregador a analisar contratações e sanar dúvidas menos comuns. E como as admissões geram obrigações legais, como processamento da folha e recolhimento de incidências, contar com um escritório contábil é essencial para mantê-las em dia e corretamente.

Contratar funcionários para a startup é uma grande responsabilidade, e precisa ser sempre um investimento bem planejado e que ajude o negócio a crescer. Outro bom investimento, e que auxilia na montagem de equipes eficientes e bem adequadas à cultura da empresa, é a contratação de estagiários. E se você pretende adicionar um estagiário ao seu time, veja quais leis precisa observar.

Deixe uma resposta

×