Aceleradora de startups ou incubadora de empresas: qual escolher?

Você que tem startup já deve ter escutado falar em aceleradoras de startups e incubadoras de empresas, não é mesmo? No entanto, você realmente sabe o que são e quais são as diferenças entre elas?

Neste artigo você vai aprender o que precisa sobre o assunto antes de procurar uma organização que apoie seu crescimento. Iremos ajudá-lo a escolher qual é o melhor modelo a ser buscado por sua startup para crescer e conquistar mais rapidamente fatia de mercado validando sua ideia.

Acompanhe-nos com atenção e perceba como são as atuações e os perfis de candidatos a acelerados ou incubados. Depois, conheça algumas das melhores instituições brasileiras.

O que é uma aceleradora de startups?

A aceleradora ajuda a startup a encontrar seu público-alvo e os canais de aquisição de clientes, além de evitar que a empresa tenha custos desnecessários, agilizando o processo de evolução.

Ela utiliza uma estrutura metodológica e possibilita desenvolver de maneira ágil os negócios através dessa estrutura, de capital próprio e de investidores-anjo. Outra vantagem para o empreendedor é que a aceleradora oferece acesso a networking — rede ampla de contatos com grandes empresas e mentores.

No entanto, para que você faça parte do portfólio de uma aceleradora sua startup precisa passar por um processo seletivo, no qual alguns fatores como mercado e equipe são analisados.

Em resumo, a aceleradora de startups apoia e investe no desenvolvimento e na expansão de empresas que trazem novos conceitos. E também atua como fundo de investimento para ajudar esses negócios. Portanto, em uma aceleração o empresário conhece seu principal investidor, um cliente-chave e/ou firma parceiras que serão importantes para as atividades.

Ademais, em troca de toda essa ajuda, a aceleradora pede uma participação acionária minoritária, que pode variar entre 8% e 20%. Essa é uma das fontes de renda da organização, que tem o lucro relacionado ao sucesso dos empreendimentos acelerados.

O que é uma incubadora de empresas?

A incubadora tem como principal preocupação a inovação da startup, não se preocupando tanto com o estágio de desenvolvimento da empresa. Justamente por isso, as incubadoras têm como um dos propósitos ajudar empreendimentos que estão há pouco tempo no mercado, nos seus primeiros anos de atuação.

Você também deve saber que as incubadoras podem focar tanto em negócios de áreas amplas quanto em mercados específicos.

Para que a startup tenha seu projeto incubado é necessário passar por um processo de seleção que é burocrático, exigindo a apresentação de vários fatores que dão razão à incubação do projeto e sua viabilidade na visão da incubadora.

Por outro lado, algumas incubadoras também aceitam indicações de parceiros que são considerados de confiança, o que muitas vezes evita o processo de seleção.

Na maioria dos casos, as startups selecionadas trabalham no espaço disponibilizado pela incubadora junto com outras empresas. E o grande benefício disso é o acesso a uma boa infraestrutura para desenvolver o negócio. Além, claro, de os responsáveis não precisarem arcar com muitas despesas para tocar o negócio.

Como alternativa, para manter os custos enxutos e gerar receita com as startups, muitas destas incubadoras dão opções de aluguel mensal que é reduzido durante o período inicial do projeto e oferecem acesso a uma rede de contatos.

Qual é a diferença entre aceleradora de startups e incubadora de empresas?

Aceleradoras focam nas empresas de crescimento rápido

As aceleradoras são focadas nas empresas que têm potencial para crescerem rapidamente. Por isso, buscam as startups que são consideradas altamente escaláveis e não apenas as pequenas empresas promissoras.

Aceleradoras têm líderes experientes

A segunda diferença da aceleradora de startups é que ela é liderada por empreendedores ou investidores considerados experientes. Já as incubadoras contam com gestores que têm experiência em lidar com o poder público, com demais empresas e até com universidades.

Isso acontece porque as aceleradoras utilizam capital privado para seu financiamento, enquanto as incubadoras aproveitam as verbas públicas — disponibilizadas por meio de editais — tanto para si próprias como para os incubados.

Aceleradoras recebem apoio em sessões de mentoring

As aceleradoras recebem apoio em sessões de mentoring, seja em palestras ou até mesmo em conversas entre empreendedores e mentores.

No caso das incubadoras, elas se baseiam no modelo dos consultores, que são contratados para apoiarem os incubados cobrando preços promocionais.

Incubadoras apoiam as pequenas empresas menos escaláveis

A incubadora apoia as pequenas empresas seguindo alguma diretiva regional ou governamental.

Um exemplo disso seria incentivar algum projeto de biotecnologia devido à proximidade a um centro de pesquisa ou até mesmo apoiar a indústria de telecomunicações de determinada região que precisa de expansão.

Incubadora pede o plano de negócios

As incubadoras pedem o plano de negócio para que a avaliação dos projetos seja o mais transparente possível, pois a verba pública que apoia as incubadoras pede maior formalidade.

Já as aceleradoras estudam o modelo de negócio e investem com base em uma boa ideia, podendo posteriormente ajudar a startup a criar o business plan.

Qual é a mais indicada para minha startup?

Para saber qual é o modelo mais indicado para o seu negócio é preciso refletir sobre o que você e sua equipe buscam e pensar no que sua startup mais necessita, observando o estágio no qual o negócio se encontra.

Reflita sobre o que é mais importante: receber um investimento inicial ou ter uma estrutura para trabalhar? Essa pergunta parece ser simples, mas com certeza lhe dará uma ideia do que é prioritário no momento. Pense, ainda, se vale a pena abrir mão de uma parte do negócio ou se você deseja seguir com total controle sobre a empresa.

Outra reflexão é sobre o apoio de outras pessoas. Procure a resposta para a pergunta: será que necessito de mentores ou posso contar com uma rede de contatos que vai me ajudar?

E mais: o que você como empresário realmente deseja e é coerente para o crescimento? Se você quer um negócio escalável, o mais indicado é procurar uma aceleradora de empresas, pois esse modelo é o que mais se adéqua ao seu tipo de startup. Por outro lado, se o empreendimento não encaixa-se tanto no modelo de escala e precisa muito de desenvolvimento, o melhor pode ser incubá-lo.

Antes de participar de algum programa de aceleração ou incubação, converse com outros empreendedores que já participam de ambos e veja os benefícios e as vantagens de cada um.

É preciso muito planejamento para conquistar um espaço no ambiente de incubação ou aceleração, saber para onde a empresa pode ir e como medir esse sucesso e contar com uma equipe dedicada e focada.

4 das principais aceleradoras brasileiras

ACE Startups

A maior aceleradora do Brasil, e eleita três vezes como melhor da América Latina, oferece mentoria, conexão com investidores e apoio à estruturação da startup. Desde a sua fundação, em 2012, mais de 220 negócios já foram acelerados em áreas como SaaS, fintech, agrotech e logística com base em tecnologia.

No primeiro momento, assim que a empresa entra em uma das turmas de aceleração, a ACE tem preocupação com a validação do negócio e de suas soluções. Depois, o crescimento de maneira escalada e rápida é o objetivo, inclusive com auxílio para novas captações de investimento na pós-aceleração.

Atualmente, a ACE possui unidades de atendimento, chamadas Hubs ACE, em São Paulo, Curitida e Goiânia. Mas a inscrição pode ser feita previamente pelo site da aceleradora.

WOW

A WOW reúne mais de 170 investidores em sua rede, que proporciona, além de capital, mentoria e networking especializados em mercado e competitividade. Pelas parcerias, a WOW também oferece benefícios que, segundo a aceleradora, chegam a R$ 500 mil de valor. Isso ocorre por meio da facilitação de acesso a ferramentas de vendas, marketing, gestão de processos e webservices, por exemplo, para modernizar a empresa e torná-la escalável em todas as operações.

No portfólio da WOW há empresas de muitas áreas, como:

  • mercado imobiliário;
  • mercado jurídico;
  • mercado financeiro (fintechs);
  • marketing digital;
  • saúde.

As inscrições para os programas de aceleração podem ser feitos pelo site para a startup ser analisada previamente. Depois, se selecionada, os responsáveis são chamados para um novo contato. Até o momento, o único escritório da WOW fica em Porto Alegre.

Startup Farm

Segundo ela própria, é a “aceleradora das startups incríveis” e apresenta em sua página de cases de sucesso 15 empresas (fintechs, varejos, prestadores de serviços diversos, empresas de tecnologia para investimentos) que se consolidaram após a aceleração.

O programa de aceleração, chamado Ahead, coloca o negócio em uma imersão de seis meses em aprendizado interno e externo para validação e desenvolvimento. Em suma, são fincadas as bases para o crescimento futuro.

Quanto ao capital, o valor limite atual que a aceleradora concede aos “Farmers” é de R$ 150 mil, além de benefícios para montagem de infraestrutura escalável com ferramentas líderes de mercado em vários setores.

Você pode pedir mais informações diretamente à Startup Farm por este link.

Liga Ventures

A Liga está há três anos no mercado conectando startups a outros negócios de portes semelhantes e corporações gigantes, como Mercedes Benz, AES Brasil e Intel.

Diferentemente das demais aceleradoras, a Liga Ventures não aporta ou intermedia o aporte de capital. Seu foco é no desenvolvimento das startups aceleradas, com mentorias, criação e acompanhamento de projetos, e no networking para crescimento.

O ciclo de aceleração dura quatro meses, durante os quais o negócio desenvolve-se e conecta-se a grandes empresas, com as quais pode fazer negócios, firmar parcerias e criar outros projetos.

Apesar de ter somente um escritório, em São Paulo, a Liga acelera empresas de todo o país e o primeiro contato pode ser feito aqui.

6 das principais incubadoras do Brasil

Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (CIETEC)

Ligado à Universidade de São Paulo (USP), o CIETEC atua há 15 anos buscando o desenvolvimento tecnológico das empresas incubadas.

Como empresa residente, a startup conta com infraestrutura física, mentoria, networking e suporte técnico. Já na modalidade de não residente todos os benefícios, exceto os físicos e locais, são mantidos.

Inova

A Inova oferece a estrutura de desenvolvimento em tecnologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Diferentemente do que ocorre com a incubadora anterior, a Inova apenas dá apoio local aos negócios selecionados, após apresentação, para desenvolvimento de serviços, produtos e operações com base em tecnologia e inovação para o mercado.

Instituto Gênesis

A incubadora ligada à Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro busca desenvolver empresas não apenas no âmbito da tecnologia, mas também no social e no de criatividade.

Após processo de seleção rigoroso, as startups aceitas contam com grande e moderna infraestrutura para se desenvolverem presencialmente no ambiente de incubação de empresas da PUCRJ.

Instituto Empresarial de Incubação e Inovação Tecnológica (IEITEC)

Sediada em Canoas, no RS, a IEITEC não é ligada a alguma instituição, mas conta com grande infraestrutura própria e parceiros como universidades, bancos e instituições de desenvolvimento empresarial.

Tendo foco em desenvolvimento tecnológico, inclusive com laboratório de biotecnologia, o IEITEC oferece infraestrutura física para startups incubadas desenvolverem operações, produtos, serviços e networking. Inclusive, para operar, após desenvolver um produto mínimo viável, o local conta com central telefônica, ramais, salas de reuniões, escritórios privativos e refeitório.

Parque de Desenvolvimento Tecnológico (Padetec)

Uma das mais antigas incubadoras do Brasil, ativa desde 1991, o Padetec é ligado à Universidade Federal do Ceará (UFC).

Como ocorre com a maioria das incubadoras, o Padetec é voltado a pesquisa e desenvolvimento em tecnologia para o crescimento de empresas inovadoras e com base tecnológica em suas operações e soluções.

Por tamanha importância em sua região, a Padetec já foi considerada uma das incubadoras mais importantes do Brasil.

Instituto Gene

O Gene, de Santa Catarina, tem ligação com Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB).

Buscando o desenvolvimento de setores que não apenas o tecnológico, a incubadora Gene descreve-se como instituição multidisciplinar que visa apoiar o empreendedorismo e projetos inovadores no geral. Para isso, oferece acesso a tecnologias, espaços de trabalho, máquinas e equipamentos e pesquisa e desenvolvimento.

Outros dois focos do Gene são a inclusão social e o desenvolvimento profissional das pessoas participantes dos projetos ou tocadas por eles de alguma forma.

Agora que você sabe as diferenças entre aceleradora de startups e incubadora de empresas pode projetar sua escolha visando a mais apropriada à realidade do seu projeto. E também já pode pesquisar as instituições que mostramos para entender seus pré-requisitos antes de apresentar um projeto.

Como você viu, os polos ideais para, além de desenvolvimento, buscar capital, são as aceleradoras. Mas existem outras formas de conseguir um aporte. Então, conheça os diferentes tipos de investimentos que sua startup pode conquistar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *