Como crescer minha startup de forma sustentável

Expansão é algo que está sempre na cabeça de donos e sócios de startups, mas é preciso atentar ao fato de que nem sempre o crescimento é apenas positivo, pois pode esconder riscos que vão se materializar posteriormente. Portanto, o pensamento deve ser em como crescer a startup de forma sustentável.

A sustentabilidade no crescimento, aplicada à administração, é o que garante que uma expansão seja apenas positiva e ajude o empreendimento a se tornar um player cada vez mais forte e estabilizado no mercado.

Então, entenda agora um pouco melhor o crescimento sustentável e como colocá-lo em prática.

O que é crescimento empresarial sustentável?

Para crescer a startup de forma sustentável é preciso aplicar a gestão empresarial sustentável, uma forma de gerenciar o negócio em prol do cresimento com visão para o longo prazo, organização e alinhamento entre diferentes aspectos. Ou seja, uma empresa que apenas está elevando a a aquisição de clientes, por exemplo, não significa que está se expandindo sustentavelmente.

Nesse caso, o ganho de fatia de mercado precisa estar alinhado a uma estrutura de custos coerente, capacitação dos profissionais e a uma série de outras ações que ajudam em uma expansão organizada e sem pontos críticos, de risco, para o funcionamento geral e de cada setor.

Em suma, a gestão sustentável trata da criação de um ambiente favorável ao desenvolvimento e ao crescimento sem que esses acontecimentos positivos gerem problemas no futuro.

Como crescer a startup de forma sustentável?

Fazer um bom plano de negócios

Um plano de negócios basicamente detalha a estrutura da empresa, suas estratégias e as ações envolvidas e os objetivos, deixando claro para os sócios a linha de ação em vários sentidos — sempre com foco na sustentabilidade. Após a criação também é importante que periodicamente, como uma vez ao ano, o plano seja revisado e, se for coerente, modificado.

Alguns quesitos do plano são:

  • parcerias-chave;
  • atividades principais;
  • segmento de clientes;
  • canais de relacionamento.

Por exemplo, o segmento de clientes pode ser o de pessoas físicas, com os canais de comunicação sendo apenas redes sociais. Nesse caso, as estratégias de marketing são desenvolvidas nas redes e direcionadas para tal público. Depois, caso o segmento de empresas de determinado porte for adicionado, serão feitas adições no segmento e nos canais de comunicação.

Tudo o que se tornar obsoleto precisa ser retirado do plano de negócios, assim como todo critério importante tem de ser documentado nele.

Ter atenção à estrutura de custos

Custos fixos e variáveis naturalmente podem se elevar à medida que a carteira de clientes do negócio também aumenta. Porém, essa elevação, principalmente dos custos variáveis, não pode tornar inviável o crescimento.

Por isso, é essencial que a possibilidade seja detectada antes de as estratégias de aquisição de clientes serem colocadas em prática. Além disso, é necessário montar uma estrutura que permita o crescimento e possa ser controlada. Por exemplo, os fornecedores-chave e dos quais a startup comprará produtos ou adquirirá serviços frequentemente podem ter contratos firmados com a empresa para apresentarem valores previsíveis e possivelmente descontos ou outras opções financeiras favoráveis.

Fazer um planejamento financeiro viável

Quanto mais clientes, mais dinheiro entrando, o que não quer dizer obrigatoriamente saldo positivo em caixa e tranquilidade com o capital de giro.

Imagine que a startup recebe a prazo em vendas ou serviços mas sempre tenha de fazer as suas compras à vista. Não é uma situação que podemos classificar como insustentável no geral, mas é fato que esse ambiente financeiro já gerou problemas de capital e disponibilidades para muitas empresas.

Por conta de todos os possíveis problemas, recebíveis e obrigações devem ser alinhados de forma que não coloquem as disponibilidades em risco, até porque não raramente as empresas ainda precisam que lidar com gastos imprevistos em casos específicos. Junto a isso, outros cuidados devem ser tomados, como:

Estabelecer uma cultura corporativa

A cultura de uma startup define seus propósitos de funcionamento, objetivos no longo prazo e valores sob os quais o empreendimento foi e continua sendo construído. E tudo isso é muito importante para manter todos os profissionais engajados em torno dos mesmos ideais.

Como não se trata apenas de algo subjetivo ou idealista, a cultura corporativa influencia no ambiente diário empresarial. Então, se a cultura for bem espalalhada dentro do negócio e for positiva, isso o ajudará a se manter na concorrência do mercado e a internamente sempre buscar qualificação.

Contratar estrategicamente e dar capacitação

Demitir funcionários gera despesas, trabalho adicional para a administração e possivelmente dor de cabeça para a gestão de pessoas. Logo, contratações não podem ser vistas como maneira de somente manter as operações andando e até de conseguir mão de obra barata.

Cada novo integrante da equipe tem de ser contratado criteriosamente, ser bem remunerado e estar em sintonia com a cultura corporativa da startup. Isso porque tais aspectos criam um ambiente de desenvolvimento profissional individual e empresarial geral, que beneficia todos os envolvidos e facilita a manutenção de equipes bem engajadas e experientes.

Quanto à capacitação, é fundamental para que a empresa não pare no tempo e acabe sendo superada pela concorrência conforme inovações e mudanças no mercado vão ocorrendo.

Projetar processos escaláveis

A necessidade de reformulação de procedimentos operacionais ou administrativos causa transtornos, atrasos e acaba gerando custos adicionais. Portanto, o ideal é que os fluxos de trabalho e as tarefas englobadas por eles sejam desde cedo projetadas para lidarem com o aumento de volume de dados e demanda.

Assim, conforme necessário, apenas são adicionadas novas pessoas, e recursos financeiros e materiais, a processos validados e que já rodam bem dentro dos setores. Por consequência, os investimentos feitos são otimizados e reduzidos, enquanto os fluxos já existentes podem ser pouco a pouco melhorados em pontos específicos visando aumento da performance.

Todas essas ações que citamos, colocadas em prática dentro de um plano geral estratégico, ajudam os responsáveis pelos empreendimentos a conceberem o melhor tipo de crescimento. E ainda que ele seja de início mais vagaroso que qualquer expansão desorganizada, é mais saudável porque gera resultados por mais tempo e torna a empresa mais forte em todos os sentidos.

E você, já faz algo para crescer a sua startup de forma sustentável ou precisa melhorar seu planejamento? Deixe a resposta, ou suas dúvidas, nos comentários abaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×