O que são ativo e passivo na contabilidade da startup

Gestores de startups devem acompanhar métricas constantemente para orientar as mais diferentes ações a resultados. E algumas dessas informações importantes, especificamente para a gestão empresarial, são os números de ativo e passivo na contabilidade.

Muitos responsáveis por negócios ainda não tiram proveito desses dados por terem caráter técnico. E nem sempre são fornecidos aos decisores de forma a facilitar o entendimento e a aplicação deles nas ações.

O intuito deste texto é simplificar os conceitos contábeis e mostrar como tirar proveito deles. Acompanhe-nos e veja também como obter esses dados.

O que são ativo e passivo na contabilidade

Nas demonstrações contábeis, o ativo diz respeito a bens e direitos do negócio, como:

  • dinheiro em caixa;
  • contas bancárias;
  • veículos e imóveis;
  • investimentos;
  • equipamentos;
  • estoque;
  • contas a receber.

Enquanto isso, o passivo é composto pelas obrigações: contas a pagar a fornecedores, folha de pagamentos, impostos e outros deveres da empresa.

Ainda há no Balanço Patrimonial, que evidencia ativos e passivos, o patrimônio líquido da startup, formado pelos grupos anteriores, pelo capital social, pelo lucro acumulado e outras possíveis posses líquidas, como reservas de capital.

Esse número resulta da diminuição do valor passivo do grupo de ativos, mais o capital, o lucro e demais possibilidades. E fica alocado, na organização do Balanço, dentro do grupo passivo por ser, em termos técnicos, uma obrigação da empresa com os sócios. Porém, sempre se considera um resultado positivo empresarial.

Os grupos principais formadores do Balanço, ativo e passivo, são divididos ainda em subgrupos para classificação mais detalhada dos valores. Os subgrupos circulantes referem-se a valores que serão movimentados no curto prazo, como contas a pagar e recebíveis mais próximos, impostos e folha de pagamentos do mês, estoque e dinheiro em caixa.

Já o não circulante diz respeito a valores que serão movimentados em longo prazo, na maioria das vezes somente no ano seguinte. Algumas contas que entram na categoria não circulante são recebíveis  de vendas feitas em várias parcelas ou de contratos de longo prazo, assim como pagamentos de compras em mensalidades que se estendem até o exercício anterior.

Especificamente no grupo do ativo, existem ainda o intangível e o imobilizado, ambos que registram valores relacionados a patrimônio. O intangível identifica ativos como direitos autorais e licenças que ajudam a formar o patrimônio da empresa.

A classe de imobilizado agrega ativos que, enquanto mantidos, não serão colocados no ativo circulante, como imóveis, veículos e equipamentos. Enquanto o negócio não vende ou substitui esse tipo de patrimônio, os ativos se mantêm e são atualizados conforme depreciação ou aumento de valor por melhorias, como reformas de imóveis.

Como utilizar esses dados na gestão

Calcular o índice de endividamento

Esse indicador demonstra o percentual das atividades da empresa que é financiado por capital de terceiros, que pode ser composto de investimentos e prazos de fornecedores. E para chegar ao resultado dele são utilizados os números de ativo e passivo na contabilidade, da seguinte forma:

  • (passivo total ÷ ativo total) x 100.

Depois desse cálculo é possível avaliar se o índice de endividamento é alto ou baixo, levando em conta também situações específicas e o momento do negócio para não serem tiradas conclusões equivocadas.

Calcular o índice de liquidez corrente

O índice de liquidez demonstra a capacidade de a startup cumprir com suas obrigações de curto prazo, motivo pelo qual apenas os subgrupos circulantes do Balanço são aplicados na conta.

Dividindo o ativo circulante pelo passivo circulante obtém-se o resultados, que de preferência deve ser maior que 1. Quando é igual ou inferior significa que há dificuldade em gerar lucro após o pagamento das obrigações ou mesmo dificuldades somente para quitá-las.

Avaliar as contas a pagar e receber

O Balanço Patrimonial pode ser emitido mensalmente e, assim, com a avaliação dos valores circulantes de curto prazo, pode-se acompanhar a evolução das contas a pagar e receber.

A manutenção de um valor médio de recebíveis quer dizer que o faturamento é mantido. E caso ocorra aumento no valor, calcula-se o percentual de elevação nas receitas.

O mesmo vale para as obrigações, que precisam ser observadas com proximidade para verificação de que elas se mantêm ou até são reduzidas.

Ainda é possível fazer análises projetadas para o longo prazo, utilizando contas classificadas como a realizar fora do curto prazo, o que o responsável pelo negócio pode solicitar ao seu contador. Então, com esses subgrupos, as mesmas avaliações citadas acima podem ser realizadas, porém como forma de tomar decisões e visualizar o cenário futuro previamente.

Comparar a lucratividade histórica

Balanços de diferentes anos ajudam tanto a comparar o lucro de cada exercício quanto a perceber o crescimento do lucro acumulado, caso exista, e dimensionar sua elevação percentualmente.

Como obter informação de ativos e passivos

Já dissemos que esses números são elencados no Balanço, mas um documento técnico emitido anualmente não serve de apoio à gestão para as análises citadas acima. Então, a empresa tem de estar integrada ao contador, ser acompanhada por ele, participar da contabilidade e conseguir entender o parecer.

Logo, a contabilidade colaborativa é o modelo que provavelmente melhor entrega esses dados para uso prático do gestor, pois funciona com proximidade entre empresa e escritório contábil, colocando à disposição do negócio documentos de fácil entendimento para leitura no dia a dia.

Agora que você tem uma noção melhor da importância de ativo e passivo na contabilidade e na gestão empresarial, assine a nossa newsletter para receber por e-mail conteúdos com este, que irão informá-lo e ajudá-lo a comandar melhor sua empresa.

Deixe uma resposta